Partilhe comigo e com todos os visitantes deste espaço, a sua opinião sobre empreendedorismo, capital de risco, inovação, gestão, business angels, ideias de negócio, balanced score card, planos de negócio...

Quarta-feira, 6 de Janeiro de 2010
2010: Ano do SNC - Sistema de Normalização Contabilística e Activos Intangíveis

SNCSNCSNCSNCSNCSNCSNCSNCSNCSNC


O blog da IP Solutions produziu um artigo muito interessante sobre a influência do Sistema de Normalização Contabilística que entrou em vigor no início do ano sobre os Activos Intangíveis como as Patentes, Marcas e Direitos de Autor:


«O ano de 2010 começa em Portugal com a entrada em vigor do Sistema de Normalização Contabilística que vem substituir o POC.
 

Este prevê desde logo a categoria de Activos Intangíveis, sejam de titularidade originária própria ou adquirida.


Ou seja, falamos aqui de actividades que tenham na sua base, ou como parte da mesma, a aquisição e Transferência de Conhecimento (falaremos sobre isto brevemente).


Porém, o seu reconhecimento passa a ser apenas possível se gerarem benefícios económicos e o custo do activo (seja lá isso o que for no entendimento do SNC) puder ser mensurado com fiabilidade.


Isto vai originar desde já dois efeitos:


1.
O aumento de Activos Intangíveis presentes nas contas das empresas, mas, simultaneamente,


2.
Denunciar o conjunto de Activos Comatosos que muitas empresas ainda hoje dispõem.

Activo Comatoso é aquele que estando na titularidade de um entidade (singular ou colectiva), carece de utilização.


Muitas das vezes é o próprio titular que não permite que o Activo seja utilizado, mantendo assim um coma induzido, impedindo que terceiros mais capacitados possam valorizar o Activo e criar/obter novos rendimentos a partir do mesmo.


O aparecimento em relatórios de um conjunto de Activos Comatosos, seja a nível de Patentes, Marcas, Desenhos, e, onde são mais frequentes, Direitos de Autor, pode ser benéfico para o mercado e para as próprias empresas.


Aliás, poderá estimular o mercado em época de crise, promovendo auditorias para conhecimento dos portfolios de Activos (económico-jurídicas), desbloqueando caminhos e possibilitando que novos actores entrem em campo.


Assim, uma auditoria de Propriedade Intelectual deve ser realizada com os objectivos de promover o alinhamento dos Activos com os objectivos da Empresa, e, é aconselhável que sejam igualmente elaborados planos de utilização estratégica relativos à Propriedade Intelectual.


Muito provavelmente o que poderá acontecer é um efeito de bolha.

Ou seja, por fantasias contabilísticas, podem começar a ser avaliados e incluídos um conjunto de Activos de modo “deseducado” e falacioso, que podem falsamente iludir o mercado relativamente ao valor das empresas.
 

Isto é grave no que respeita a três géneros de Activos:

Patentes, Marcas e Direitos de Autor.»

[artigo completo]

 



publicado por Francisco Banha às 15:37
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

13
15
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


posts recentes

2010: Ano do SNC - Sistem...

arquivos
tags

todas as tags

Blogs Recomendados

- Portal do Empreendedorismo no Desporto
- Antonuco
- iZNovidade
- Start-Up Whisperer
- Seth Godin
- Venas Inside
- No Fio da Navalha

subscrever feeds